Por: Vitor Vizzotto

27660418953_86c1998c08_o
(Foto: Cesar Greco)

Não foi como esperávamos. Vimos uma forma de jogar que já estávamos quase esquecendo como era. Parecia o Palmeiras dos anos anteriores. Claro, já colocaram o Cuca em posição de culpado. Ele errou em um ponto crucial, mas tem mais acertos do que erros.

Todos falam que o verdão tem um poderoso e vasto elenco, mas eu nunca achei que era pra tanto. Nós temos um bom plantel e isto é incontestável, mas não temos, por exemplo, dois times titulares na prática. Pra ficar mais claro, não temos dois elencos bons a nossa disposição. No papel nós temos à primeira vista, mas na prática a coisa muda.

Eu acho que ter colocado o Moisés no jogo foi um erro. Ter tirado-0 para a entrada do Arouca também, mas não foi só por causa disso que perdemos. Como já disse em críticas anteriores, sempre que o Palmeiras faz um gol o time para. É impressionante mesmo. Nunca entendi isso. Eu achei que com o Cuca o time tava começando a perder esta característica, mas de fato é muito difícil apagar essa ‘tradição’ negativa.

Foram criadas poucas oportunidades de gol concretas. Faltou o algo a mais. O problema do elenco é simples e já é velho: precisamos de mais um meia de criação no banco de reservas. Isto é um fato consumado.

Foi praticamente uma derrota. Poderíamos ter aberto 3 pontos do Corinthians e seria mais fácil as próximas rodadas. Se jogarmos assim contra o Inter, a perda da liderança é iminente. Um ponto nos separa dos alvinegros que pegam o São Paulo em casa, e na minha opinião vão ganhar. Ainda mais se o tricolor paulista perder hoje na libertadores.

Por fim, gostaria de ressaltar o quão imbecil foi o cidadão que jogou o esqueiro no Gabigol. Agora podemos perder mandos de campo. Nossa força está em casa. Se perdermos nossa casa por causa deste poço de inteligência, corremos o risco de perdermos o campeonato lá na frente. Bate 3 vezes na madeira e bola pra frente!

FORZA PALESTRA!

 

 

 

 

 

 

Deixar uma resposta