O DESASTRE EM ITAQUERA.

Por: Nicola Ferreira

Quando nós palmeirenses acordamos no sábado esperávamos um time que brigasse o tempo todo e que principalmente vencesse o maior clássico do mundo. O que aconteceu na realidade foi que um time patético e sem garra vestiu o nosso manto e foi até Itaquera fingir jogar futebol.

Os nossos jogadores entraram em campo achando que aquele apenas mais um jogo e como todos sabemos o Derby não é qualquer jogo. Desde o primeiro toque na bola, já era possível observar a falta de vontade dos nossos atletas e essa energia não alterou em nenhum momento da partida.

Claro, a arbitragem questionável de Rafael Claus atrapalhou o desenvolvimento do time na partida, mas não podemos considera-la como o fator principal para a revés. O Corinthians dominou o jogo inteiro, a expulsão de Jaílson e o fato de estarmos com um a menos apenas facilitou a partida para o rival

Não consigo elogiar ou destacar nenhum jogador do Palestra na partida, Lucas Lima e Borja foram os mais próximos de terem uma partida no mínimo regular no sábado, entretanto em vários momentos importantes eles simplesmente desapareceram.

O Palmeiras ficou atordoado o jogo todo e nenhuma das substituições (as duas de jogadores de linha) feitas por Roger Machado passaram perto de se mostrarem eficientes. O esquema proposto pelo comandante foi ineficaz de causar qualquer problema ao time de Itaquera e a falta de ajustes na forma de jogar fora visível.26594661238_610cde015f_o

O ataque foi incoerente com o nosso hino e não mostrou o mínimo de raça. Apenas conseguimos demonstrar perigo em dois lances com Borja, ambos defendidos tranquilamente por Cássio. Dudu não foi aquele que conhecemos, principalmente quando joga os clássicos, ele foi o verdadeiro símbolo do verdão no jogo: apagado e perdido.

A dupla de zaga que parecia estar sólida começou a mostrar os já esperados defeitos, especialmente Thiago Martins. Os atacantes corintianos conseguiam entrar com facilidade na área, uma dessas invasões resultou no fácil gol de Rodriguinho.  Esses espaços dados dentro e fora da área precisam ser corrigidos de forma imediata se quisermos ter uma zaga menos vazadas.

Agora está na hora de juntarmos os cacos e como Roger disse: aprendermos com a derrota. Já que não podemos esquecer que a nossa obsessão começa quinta-feira contra o Junior de Barranquilla na Colômbia e que se os nossos atletas honrarem a camisa que vestem começaremos bem a Libertadores.

FORZA PALESTRA

Anúncios

CONTRA TUDO E CONTRA A LAMA

Por: Nicola Ferreira

Difícil de assistir. Dessa forma podemos explicar a partida entre Palmeiras e Ponte Preta ontem no Moisés Lucarelli.  Os times até tentaram apresentar um bom futebol , mas o lamaçal que virou o gramado do estádio campineiro não deixou as equipes jogarem. O resultado de 0 a o foi justo levando em conta as poucas chances de ambas as equipes.

O Verdão teve uma boa atuação considerando o estado da grama, de maneira até mesmo milagrosa a equipe conseguiu movimentar bem a bola, principalmente quando Lucas Lima estava com ela nos pés. O meio-campista conseguiu em vários momentos colocar  os atacantes em boas posições para finalizar, entretanto os zagueiros ponte-pretanos e até mesmo a lama não deixavam as finalizações acontecerem.

Difícil destacar algum jogador do Palmeiras que teve uma boa apresentação, os dois melhores foram sem dúvida, Jaílson e Marcos Rocha.

Jaílson teve 2 excelentes defesas em chutes do lateral Orinho, fora essas duas jogadas e um chute na trave do mesmo Orinho, o goleiro não trabalhou muito. O arqueiro do verdão teve mais uma partida tranquila e se consolida como titular no elenco alviverde. Calando as críticas que sofreu essa semana. Com esse empate, ele chega na 29ª partida sem derrota.

25477427587_b4a1549441_o

HABEMUS LATERAL-DIREITO! Tudo bem, ainda está cedo para declararmos que Marcos Rocha é a solução definitiva, mas não podemos omitir o bom início de temporada que o lateral está tendo. Jogando bem no lado ofensivo do campo algo que já era esperado, o que surpreende é a forma como ele está jogando na defesa, com bons desarmes e boas coberturas. Na minha opinião o melhor jogador do Palmeiras ontem.

Ofensivamente o verdão teve vários problemas, William e Dudu tiveram quiçá a pior partida deles no ano. A única chance clara do verde foi o chute de Guerra que foi bem defendido pelo goleiro, Ivan

Já a defesa do Palmeiras não encontrou dificuldades, também porque não trabalhou muito, já que a Ponte não chegava ao ataque. O único problema que ainda encontro na defesa é a abertura de espaços, que possibilitam o arremate de longe do adversário como no caso dos três chutes de maior perigo para o time de Campinas.

O Palmeiras continua invicto e líder com folga do grupo C com 20 pontos.

FORZA PALESTRA

SEGUIMOS INVENCÍVEIS

Por: Marina Delamo

O Palmeiras viu a vitória sobre o Linense escapar duas vezes de suas mãos. A equipe manteve o nível dos jogos anteriores mas quebrou uma sequência de seis jogos de vitórias.

Começando por Borja: voltamos a sonhar com um homem de área eficaz. Em sete jogos, já são cinco gols, metade daquilo que ele fez o ano passado inteiro. Além de mais decisivo, Borja está mais confiante e participativo; brigando pela bola e conseguindo boas jogadas.

Com passes de Guerra, que teve sua primeira oportunidade como titular no ano – e se saiu muito bem, e de Marcos Rocha, Borja marcou os dois tentos alviverdes da noite.

bor
Créditos: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Outro aspecto a se analisar é o gol no início da partida: foi uma arma nossa no ano de 2016 e algo que faltou em 2017. Roger Machado trabalha um time em que todos saem jogando e pressionam o ataque desde o momento em que a bola rola.

O verdão marcou os dois gols logo no início dos dois tempos da partida, com jogadas rápidas e de profundidade.

A defesa: assim como Roger quer um time para frente, também sabe usá-lo no momento em que é para recuar. Victor Martins e Antônio Carlos recebem apoio de Felipe Melo e Tchê Tchê, e até mesmo Lucas Lima se desloca para fundo e ajuda na marcação.

Na noite de ontem, o primeiro gol adversário saiu em uma bola parada de falta. O segundo, após uma falha individual de Victor Martins que cortou mal e viu o adversário pegar o rebote e marcar.

Estamos na liderança do campeonato com folga. 21 pontos disputados e 19 ganhos. O empate não amargou o doce da boca. Somos fortes e estamos unidos.

FORZA PALESTRA

 

VITÓRIA TRANQUILA

Por: Vitor Vizzotto

Um jogo tranquilo. Para mim o Palmeiras dominou os 90 minutos. O Santos pouco atacou, não levou perigo à meta de Jailson, que mais uma vez fez excelente partida e o gol que sofremos foi por uma falha da arbitragem em não ter marcado a saída da bola.

No mais não tiveram grandes desafios nesta partida e acho que poderíamos ter marcado mais alguns tentos…

Borja fez mais um bom jogo, mostrou que está esforçado e querendo se estabelecer no verdão. O camisa 9 marcou o seu primeiro gol em clássicos, se movimentou bem e está ajudando na marcação.

39375633464_ee646bcd0e_o

Lucas Lima, que reencontrou o seu ex-clube, teve muita liberdade com a bola e quase marcou um golaço de falta. Scarpa que entrou no lugar do camisa 20, não teve muito tempo de mostrar a que veio ainda. Precisaremos ver como o meia entrará em uma peleja como titular.

O único ponto negativo de ontem, fora o gol do time da Vila, foi a entrada de Bruno Henrique. Acho que no momento em que a partida se encontrava, não era necessária a entrada do volante. Já é a terceira vez que Roger insiste nesta substituição. Porém, o treinador faz um excelente trabalho e está certo quando diz que a torcida tem que apoiá-lo quando mexe no time.

40054108222_45b8546595_o

Palmeiras 100% na competição, rendendo bem com técnico, que está dando uma cara ao time e mostra que tem o elenco em suas mãos.

FORZA PALESTRA