Por: Victor Chahin

sampaio-correa-palmeiras-copa-do-brasil-29042015_1fmgd25sjvpu01sz9yj5tdoq61O elenco reserva é uma das principais armas de um time campeão. O jogo de ontem contra o Sampaio Corrêa revelou alguns pontos a serem melhorados em um time que quer um futuro verde nos próximos anos.

Os calendários dos jogos são conhecidos por serem apertados e dificultam os times em ter sempre alto nível e sem lesões. Portanto o entrosamento de um 2º time é indispensável.

No jogo de ontem, tivemos muitos pontos positivos, vimos André Girotto entrar bem e mostrar confiança; fomos apresentados ao goleiro Jailson, através de boas defesas e segurança na posição… Tivemos alguns pontos negativos, mas não chega perto de um problema.

Gabriel Jesus, jovem da base, não criou, não mostrou nada que subisse o brilho nos olhos do torcedor. A esperança não morre, oras, são 18 anos apenas, precisa de experiência. Contudo deixo minha observação, Gabriel deve parar de ser usado apenas como 20 minutos de esperança no final dos jogos, pois quando ele entra, o rendimento do time não é o mesmo, o menino precisa jogar apenas os primeiros 15 minutos no time titular, ai sim poderemos ver suas qualidades.

O Palmeiras poderia ter perdido o jogo se não fosse pelos erros repetidos do bandeira, e as defesas do Jailson.

Quanto ao nosso Kelvin, inquestionável a capacidade do jogador. Entrou bem como ponta esquerda contra o Corinthians, mostrou que pode jogar em ambas das alas. Mas faltou algo, não por culpa dele, mas do time de ontem, a falta de um meia armador foi sentida. Alan Patrick é um jogador que não tem características de Cleiton ou Valdivia. Os 3 jogadores de ataque rápidos e jovens, Jesus, Ryder e Kelvin precisam de um armador veloz e calmo.

A falta de entrosamento também ficou visível, os reservas não tinham nenhuma jogada característica no âmbito coletivo. Erravam passes, dribles e davam chutões com frequência. Resta esperar, o melhora virá. 2015 será verde.

Esperando a Saudade Domingo, na final espero ver um time ofensivo no primeiro tempo, fazendo um ou dois gols, para no segundo tempo administrar. Temos muitas chances de ganhar do Peixe na Vila e com o time titular. O Palmeiras ja deu trabalho para o Santos na baixada, e na época, o verdão, tinha um time desentrosado e haviam perdidos dois jogos importantes, em casa, contra o Corinthians e a Ponte Preta.

 O divisor de águas para o Palmeiras de 2014 e o de 2015 foi contra o Corinthians, ganhamos a classificação para o título na casa deles do jeito palestra de ser, com linha atacante de raça! E neste domingo, veremos a mesma entrega e quem sabem por volta das 6 da tarde, subiremos a terra com o taça de ouro no nosso ônibus.

FORZA PALESTRA!!

Deixar uma resposta